Bem-vindo ao Centro Islâmico Brasileiro - Últimos Artigos: Capítulo 30, Ar-Room (Os romanos) - Capítulo 50, Qaaf (A letra Caf) - Capítulo 79, An-Naziat (Os arrebatadores) - Capítulo 72, Al-Jinn (Os gênios) - Capítulo 103, Al-Asr (O Tempo) - Capítulo 110, An-Nasr (A Ajuda) - Capítulo 102, At-Takathur (A cobiça) - Capítulo 98, Al-Bayyinah (A evidência clara) - Capítulo 90, Al-Balad (A Cidade) - Perguntas sobre a Outra Vida - Capítulo 36 , Ya Sin (Ya Sin) - Capítulo 3, Versículos 78-80: Crenças imperfeitas - Capítulo 2, Versículo 177: O versículo da virtude - Capítulo 2, Versículos 165 - 167: O maior pecado e como ser salvo - A Assembleia Diária do Profeta (parte 2 de 2) -
Este site tem por objetivo divulgar o Islam, seguindo a Ahlus Sunnah wal Jama'a (Seguidores da Sunnah e a Comunidade), o Islam em sua mais pura forma, o Islam que foi ensinado pelo nosso querido Profeta Muhammad (s.a.w.s) e seguido pelos seus Nobres Companheiros (Sahaba).


Ouça o Alcorão
Já está disponível em nosso
site o "Nobre Alcorão e seus
Significados em Português"
saiba mais



Leia o Alcorão
Agora além de poder ouvir a
bela recitação do Alcorão,
você também pode ler,...
saiba mais



Du'as - Súplicas
Aprenda como recitar de maneira correta os du'as (suplicas) em arabe saiba mais


Biblioteca Islâmica
"A teoria da evolução foi
tratada em capítulo à parte,
pelo fato de que constitui a
base de todas..." saiba mais



Assine nosso Jornal
Assine nosso Jornal Islâmico Online e receba no seu email as últimas atualizações do nosso site saiba mais



Perguntas e Respostas
Sinta-se à vontade para tirar todas suas dúvidas referente ao islam, alcorão, profeta mohammad, saiba mais



Civilização Islâmica
Dentro de poucos anos do crescimento do Islam no mundo, grandes civilizações floresceram saiba mais


Convertidos ao Islam

Nesta seção você conhecerá a história de pessoas que descobriram no Islam a Luz para as suas vidas. saiba mais

Como nós, como muçulmanos, celebramos Cristo (parte 2 de 2)
Clique aqui para retornar às Categorias de Artigos

HowWeasMuslimsCelebrateChrist2.jpgNossa crença no Evangelho de Jesus é um princípio de fé para os muçulmanos, assim como é parte da crença islâmica nas escrituras - um dos seis pilares essenciais da fé islâmica.  Deus diz no Alcorão:

" O Mensageiro crê no que foi revelado por seu Senhor e todos os fiéis creem em Deus, em Seus anjos, em Seus Livros e em Seus mensageiros. Nós não fazemos distinção entre os Seus mensageiros." (Alcorão 2:285)

Isso significa que a crença de um muçulmano no Alcorão não é válida, a menos que também acredite no Evangelho que foi revelado a Jesus (que a paz esteja sobre ele).[1] Por que? Porque o Alcorão veio confirmando o Evangelho e também a Torá.

Deus diz: "Ele te revelou (ó Muhammad) o Livro (paulatinamente) com a verdade corroborante dos anteriores, assim como havia revelado a Tora e Evangelho." (Alcorão 3:3)

Outra razão por que nossa fé no livro revelado para Jesus (que a paz esteja sobre ele) é essencial, é ser exigido que nós muçulmanos acreditemos em todas as escrituras que Deus revelou.  Deus nos ordena: "Dize: Creio em todos os Livros que Deus revelou!" (Alcorão 42:15)

Perguntamos: Existe outro grupo religioso na Terra, fora da Cristandade, que honre e celebre o Evangelho como um aspecto essencial de sua fé além dos muçulmanos?

Essa celebração de Jesus Cristo (que a paz esteja sobre ele) - inclusive sua concepção, nascimento, milagres, escritura e mensagem - não é meramente uma ideia, mas uma realidade vivida pelos muçulmanos, injetada todos os dias nas práticas mais essenciais de nossa fé e adoração.  Quando um muçulmano recita o Alcorão - e especialmente os capítulos intitulados "Maria", "A Família de Imran" e "A Mesa Servida" (que se refere à ceia que Jesus - que a paz esteja sobre ele - teve com os discípulos) - isso implica recitar os ensinamentos sobre Cristo como uma forma de adoração.  Os versículos que honram e louvam Cristo também são recitados em nossas orações diárias.  A crença em Cristo é parte das crenças islâmicas essenciais que todo muçulmano aprende desde a tenra infância.

Tudo isso deve nos encorajar, muçulmanos e cristãos, a redobrar nossos esforços de compreensão mútua.  O equívoco de muitos cristãos em todo o mundo de que os muçulmanos são hostis a Jesus (que a paz esteja sobre ele) ou o negam, não conduz a uma atmosfera de compreensão. Sem falar no desconhecimento de que nós muçulmanos reverenciamos Cristo e o amamos do fundo de nossos corações.  O desconhecimento cristão em relação às nossas crenças verdadeiras não é somente um erro em conhecimento, mas um obstáculo à compreensão entre nossas duas crenças, necessária para promover a tolerância e dissipar a intolerância.

Se os cristãos compreendessem as nossas verdadeiras crenças sobre Jesus Cristo (que a paz esteja sobre ele), isso os levaria a respeitar o profeta do Islã, mesmo que não chegassem ao ponto de acreditarem que Muhammad, que a misericórdia e bênçãos de Deus estejam sobre ele, seja de fato um profeta.  Estamos falando aqui sobre respeito humano básico como exigido pelo que dita a razão e a ética, um respeito que impede a possibilidade de calúnia e abuso.

Pense a respeito... Se alguma corporação americana ou europeia se unisse e mobilizasse recursos humanos e financeiros com o propósito de "conhecer Jesus", retratando Jesus (que a paz esteja sobre ele) da maneira mais bela possível como um serviço completamente gratuito ao público, como os cristãos se sentiriam em relação a esse esforço e como o descreveriam? Certamente o considerariam um empreendimento nobre e positivo.

Esse esforço corporativo descrito acima é um cenário imaginário, mas existe uma realidade que o ultrapassa de longe.  Estamos falando sobre algo que tem ensinado pessoas sobre Cristo (que a paz esteja sobre ele) nos termos mais nobres e sublimes, ensinado pessoas a acreditarem nele, honrá-lo e amá-lo.  Essa realidade é que Muhammad, o profeta do Islã, veio com um livro que celebra e honra Jesus Cristo (que a paz esteja com você), um livro que todos os muçulmanos dos últimos 1.400 anos e os mais de 1 bilhão de muçulmanos de todo o mundo hoje aceitam como a palavra infalível de Deus.  Esse programa "conheça Cristo" não foi um esforço de curto prazo.  Tem sido constante em seu sucesso desde o século seis até os dias atuais.

O que, então, um cristão atento deve sentir sobre o profeta que ensinou literalmente bilhões de pessoas em todo mundo a acreditar, amar e honrar Cristo? No mínimo essa pessoa deveria sentir respeito por esse profeta que amou tanto a Cristo e ensinou seus seguidores a fazer o mesmo, uma vez que é natural ter respeito por alguém que reverencia algo que se tem em alta estima.



Notas de rodapé:

[1] Os muçulmanos acreditam que a Bíblia atual foi adulterada ao longo do tempo.

 

http://www.islamreligion.com/pt/articles/10687/como-nos-como-muculmanos-celebramos-cristo-parte-2-de-2/

Hierarquia do Artigo:
Artigos Religião Comparada Como nós, como muçulmanos, celebramos Cristo (parte 2 de 2)


Navegação de Artigos:

<< Artigo Anterior || Próximo Artigo >>
Compartilhar esse Artigo:
Url
BBCode
HTML

Página Inicial | Últimos Artigos | Crenças do Islã | A Outra Vida | Evidência do Islã | Religião Comparada | Perguntas e Respostas | Busca | Contato |
Centro Islâmico Brasileiro (c) 2009-2018. Todos os direitos reservados.
Powered by PHP-Fusion copyright © 2002 - 2018 by Nick Jones.
Released as free software without warranties under GNU Affero GPL v3
voltar ao topo